33º Feira do Livro de Canoas
Prefeitura de Canoas

A FEIRA DO LIVRO

Patrona

Luisa Geisler é escritora e tradutora. Autora de “Contos de mentira” , “Quiçá” e “Luzes de emergência se acenderão automaticamente”. Foi duas vezes vencedora do Prêmio SESC de Literatura, além de ter sido duas vezes finalista do Jabuti, finalista do Prêmio Machado de Assis.

Patrono Demétrio Alves Leite
História

Em atuação desde 1982, a Feira do Livro de Canoas é considerada a segunda maior do RS. Ao longo dos últimos anos, a atração vem se desenvolvendo de maneira intensa, buscando o aprimoramento e a qualificação. A Feira do Livro de Canoas faz parte do Circuito Nacional de Feiras de Livro.

Foto Feira 2016
Cidade Homenageada

Pelotas dispõe de um grandioso patrimônio cultural, tombado ou inventariado como patrimônio histórico e cultural. Com a mistura de etnias que caracteriza Pelotas, não é difícil de se compreender a riqueza cultural da cidade. Foi berço e morada de várias personalidades da cultura nacional.

Foto da Cidade de Guaíba
Xerife da Feira

Jonatan Ortiz Borges é ator, poeta performático, origamista, contador de histórias, bolheiro, mediador de leitura e apresentador. É o criador do Projeto Poético, espetáculo que utiliza um vasto repertório poético e musical de diversos escritores consagrados e com textos autorais. Atua, com alegrias, dramas e contações de histórias.

Foto Patrona

Luisa Geisler é escritora e tradutora. Autora de “Contos de mentira” , “Quiçá” e “Luzes de emergência se acenderão automaticamente”. Foi duas vezes vencedora do Prêmio SESC de Literatura, além de ter sido duas vezes finalista do Jabuti, finalista do Prêmio Machado de Assis. Participou de produções artísticas em parcerias com instituições internacionais como a OMI International Arts Center Residency, de Nova York, e a Serpentine Gallery, de Londres. Também é mestre em Processo Criativo pela National University of Ireland.

 

Clique para ocultar a área de informações

Em atuação desde 1982, a Feira do Livro de Canoas é considerada a segunda maior do Rio Grande do Sul. Ao longo dos últimos anos, a atração vem se desenvolvendo de maneira intensa, buscando o aprimoramento e a qualificação. A Feira do Livro de Canoas faz parte do Circuito Nacional de Feiras de Livro da Fundação Biblioteca Nacional e do Ministério da Cultura. Em 2017, a feira homenageou o escritor Ziraldo e recebeu mais de 100 mil visitantes. Na contramão de outros eventos do mercado literário, a Feira do Livro de Canoas registrou aumento de 15% nas vendas.

FOTO 1  

 
Clique para ocultar a área de informações

A primeira referência histórica do surgimento do município data de junho de 1758, através da doação que Gomes Freire de Andrade, Conde de Bobadela, fez ao Coronel Thomáz Luiz Osório, das terras que ficavam às margens da Lagoa dos Patos. Fugindo da invasão espanhola, em 1763, muitos dos habitantes da Vila de Rio Grande buscaram refúgio nas terras pertencentes a Thomáz Luiz Osório. A eles vieram juntar-se os retirantes da Colônia do Sacramento, entregue pelos portugueses aos espanhóis em 1777, cumprindo o tratado de Santo Ildefonso assinado entre os dois países.

Em 1780, o português José Pinto Martins, que abandonara o Ceará em consequência da seca, funda às margens do Arroio Pelotas a primeira Charqueada. A prosperidade do estabelecimento, favorecida pela localização, estimulou a criação de outras charqueadas e o crescimento da região, dando origem à povoação que demarcaria o início da cidade de Pelotas. A grande expansão das charqueadas fez com que Pelotas fosse considerada a verdadeira capital econômica da província, vindo a se envolver em todas as grandes causas cívicas. Pelotas tem a segunda maior concentração de curtumes do Estado e uma das maiores capacidades curtidoras de couro e peles do Brasil.

Pelotas dispõe de um grandioso patrimônio cultural, tombado ou inventariado como patrimônio histórico e cultural. Com a mistura de etnias que caracteriza Pelotas, não é difícil de se compreender a riqueza cultural da cidade. Foi berço e morada de várias personalidades da cultura nacional, como do escritor regionalista João Simões Lopes Neto, de Hipólito José da Costa, do pintor Leopoldo Gotuzzo e de Antônio Caringi. Pelotas é patrimônio histórico e artístico nacional e patrimônio cultural do Estado do Rio Grande do Sul. Seu belo patrimônio cultural arquitetônico, de forte influência européia, é um dos maiores de estilo Eclético do Brasil, em quantidade e qualidade, com 1300 prédios inventariados. No ano de 2006, Pelotas foi eleita, pela Revista Aplauso, como a cidade “Capital da Cultura” do interior do estado.


.

   
Clique para ocultar a área de informações

Jonatan Ortiz Borges é ator, poeta performático, origamista, contador de histórias, bolheiro, mediador de leitura e apresentador. É o criador do Projeto Poético, espetáculo que utiliza um vasto repertório poético e musical de diversos escritores consagrados e com textos autorais. O espetáculo, onde o artista também atua, é cheio de alegrias e dramas com  contações de histórias, interpretações, conversas e interatividade com a plateia. Também criou e atua no “Eu, Poeto – A Magia da Poesia”. Uma atração feita para trabalhar de forma lúdica e sensível as possibilidades de transformação do fazer poético.

Desde janeiro de 2015, acompanha o grupo de teatro “De Pernas Pro Ar”, realizando montagem técnica e monitoria no espetáculo “Automákina – Universo Deslizante”. No grupo, atua como ator bonequeiro no espetáculo “Mira – Extraordinárias Diferenças, Sutis Igualdades”. O espetáculo passou por 22 oficinas em 46 cidades de 20 estados brasileiros.



 
Clique para ocultar a área de informações

ATRAÇÕES DA FEIRA


Tabajara Ruas

Tabajara Ruas

Tabajara Ruas publicou no Brasil seis romances: A região submersa, O amor de Pedro por João, Os varões assinalados (considerado um dos trinta melhores livros dos últimos 30 anos por Zero Hora), Perseguição e cerco a Juvêncio Gutierrez (personagem-título considerado um dos 20 melhores do século XX na literatura gaúcha por Zero Hora), Netto perde sua alma (Troféu Açorianos de melhor romance/1996) e O fascínio.

Também é autor de ensaios: Mario (com Armindo Trevisan e Dulce Helfer), A cabeça de Gumercindo Saraiva (com Elmar Bones), Solar dos Câmara, RS: caminhos, luzes e sombras; livro de crônicas: Um Porto Alegre; quadrinhos: História de Curitiba, A guerra dos Farrapos (ambos com Flavio Colin), História/Histórias de Porto Alegre (com Edgar Vasques e Liana Timm); os folhetins A segunda existência de Terry Lennox, 1835: A grande epopéia, O labirinto invisível; traduções do dinamarquês de textos infantis: O patinho feito, As novas roupas do imperador, O intrépido soldadinho de chumbo (de Hans Christian Andersen) e da peça: Vamos transar? (do Grupo Rodemor).

No exterior publicou os romances A região submersa (Dinamarca e Portugal), Perseguição e cerco a Juvêncio Gutierrez (Colômbia e Uruguai), Netto perde sua alma (Uruguai e Portugal), O fascínio (Uruguai e Portugal), A cabeça de Gumercindo Saraiva, El cerco (Uruguai), Frontera (Chile), Garibaldi e Rossetti (Itália).

Cinema
Atuando no cinema desde 1978, Tabajara Ruas trabalhou em diversos projetos, todos várias vezes premiados. Dirigiu juntamente com Beto Souza o longa-metragem Netto perde sua alma (2001), vencedor de 14 prêmios em festivais nacionais e internacionais de cinema: Melhor filme, melhor música, melhor montagem e prêmio especial à produção no Festival de Gramado; Melhor ator para Werner Schünemann e melhor direção de arte no Festival de Brasília, 2001; Melhor fotografia no Festival de Huelva, na Espanha; Melhor roteiro, melhor ator coadjuvante para Sirmar Antunes, melhor direção de arte e Troféu Gilberto Freyre no Festival de Recife; Melhor diretor estreante e melhor música no Festival de Trieste, Itália.

Participou dos longas Kilas, o mau da fita, de José Fonseca e Costa/1978/Portugal (roteiro), Um S marginal, de José Caetano/1978/Portugal (assistência de direção), Anahy de las Misiones, de Sérgio Silva/1997 (roteiro final), Concerto campestre, de Henrique de Freitas Lima (roteiro), Oeste, de Chico Faganello (roteiro).

É autor do roteiro da minissérie Garibbaldi in America (Laz Produções/1998), do roteiro do longa Perseguição (com Ligia Walper/1997), de A antropóloga (de Zeca Pires/2002). Em curtas-metragens trabalhou em Paulo e Ana Luiza em Porto Alegre, de Rogerio Ferrari/1998 (roteiro), Manhã, de Zeca Pires/1989 (roteiro), Ilha, de Zeca Pires/2001 (roteiro), O dia em que Dorival encarou a guarda, de José Pedro Goulart e Jorge Furtado/1987 (argumento), Duelo, de Jaime Lerner/1998 (argumento).

Clique para ocultar a área de informações

Mel Duarte

Mel Duarte

Poeta, slammer e produtora cultural, atua com literatura independente desde 2006. Faz parte do coletivo “Poetas Ambulantes” e é uma das organizadoras da batalha de poesias voltada para o gênero feminino “Slam das Minas- SP”.

Em 2016, Mel foi destaque no sarau de abertura da Feira Literária Internacional de Paraty (Flip) e foi a primeira mulher a vencer o Rio Poetry Slam, campeonato internacional de poesia que acontece dentro da Feira Literária das Periferias, no Rio de Janeiro. Em 2017, foi convidada a representar a literatura brasileira no Festilab Taag, em Luanda, Angola.


Possui 2 livros publicados de forma independente “Fragmentos Dispersos” 2013 e “Negra Nua Crua”, publicado pela editora Ijumaa e em seguida transformado em audiolivro pela Tocalivros. A obra também foi traduzida para o espanhol pela Ediciones Ambulantes e o lançamento ocorre em outubro de 2018, em Madrid.

 

Clique para ocultar a área de informações

Margarida Botelho

Margarida Botelho

A artista portuguesa é graduada em Arquitetura e mestre em Design e Ilustração. Desde 2005, publica livros para o público infantojuvenil onde constrói as palavras e as imagens dessas casas/livros.

Como acredita no compromisso entre arte, educação e mundo social, desenvolve experiências educativas com várias comunidades em vários contextos; cria e realiza como arte educadora projetos artístico educativos em bibliotecas, escolas, campos de refugiados, centros sociais, culturais e museus em Portugal e no Brasil.

Recentemente, trabalhou com a Unesco em projetos de intervenção comunitária através da arte, desenvolvendo uma nova coleção de livros “Poka Pokani” em Moçambique, no Brasil, na Índia e em Timor-Leste.

 

Clique para ocultar a área de informações

Márcio Weiss

Márcio Weiss

 

Estilista, produtor cultural e consultor de moda, o canoense Márcio Weiss atua há 20 anos como colunista e editor de moda. Graduado também em Produção Audiovisual e Cinema, com especialização em Moda, Criatividade e Inovação, o jornalista já participou como palestrante convidado em eventos de moda e comunicação em diferentes cidades do país e como painelista da Semana de Moda de Milão, na Itália.

Durante 5 anos foi o coordenador-técnico do Projeto Canoas tá na Moda e coordenador estadual de projetos de capacitação profissional de jovens e adultos. Incentivador dos novos talentos no mercado da moda, apoiou novos estilistas em eventos no estado e centro do país.

Pesquisador de moda no mercado internacional, Weiss tem formação nas principais escolas de moda nacionais e internacionais, desenvolveu oficinas de processos criativos e já lançou suas criações em eventos de moda, programas de TV, além de apresentar seu projeto de roupas de chocolate em Paris.

 

Blog

Clique para ocultar a área de informações

Manuel Filho

Manuel Filho

Escritor, vencedor do prêmio Jabuti em 2008, possui mais de 40 livros publicados por editoras como Melhoramentos, Ática, Saraiva, Editora do Brasil, Panda Books, Mundo Mirim, Prumo, Paulus, Besouro Box, Escala Educacional, entre outras. Em 2015, foi o patrono da 24ª Feira Literária da cidade de Carlos Barbosa, no Rio Grande do Sul.

 

Seu livro, “O Sumiço da Lua” integrou o catálogo da Feira do Livro Infantil de Bologna, em 2015. E sua obra “Sensor, o Game”, fez parte do catálogo oficial da CBL, Câmara Brasileira do Livro, na feira do livro em Frankfurt. Foi finalista, em 2013, do prêmio Açorianos de literatura com o livro “A Menina Que Perdeu o Trem”.

 

Também trabalha como ator e já participou de grandes espetáculos teatrais como Os Lusíadas, O Mágico de Oz e a Luta Secreta de Maria da Encarnação, último espetáculo escrito por Gianfrancesco Guarnieri. Escreveu para revistas, televisão e rádio. Nasceu na cidade paulista de São Bernardo do Campo, em 06 de março de 1968.


Clique para ocultar a área de informações

Luciano Pontes

Luciano Pontes

É escritor, ator, cenógrafo, palhaço do programa Doutores da Alegria, em Recife. Tem formação livre em teatro e dança. Integrou durante cinco anos o elenco de atores-manipuladores do mamulengo Só-Riso, uma das principais companhias de teatro de bonecos do Brasil. Ganhou os prêmios: Apacepe de melhor cenário de dança com Oratórium (2002), e o do Festival Nordestino de Guaramiranga, com O Terceiro Dia (2003). Também publicou o livro  “Ouvindo conchas do mar; Uma história sem pé nem cabeça” e “O carrossel do tempo”.

Clique para ocultar a área de informações

Liza Petiz

Liza Petiz

Gaúcha, é professora e ilustradora. Seu amor pelos livros e pela arte fez brotar o desejo de ilustrar. “Cada galho com o seu macaco” é o seu primeiro trabalho como ilustradora, neste livro ela colocou toda a curiosidade e alegria que percebe no universo infantil.

Clique para ocultar a área de informações

Liana Timm

Liana Timm

 

Artista multimídia, arquiteta, poeta e designer. Liana tem 41 livros publicados, 69 exposições individuais, 112 coletivas e 15 prêmios recebidos. Dirige a Território das Artes, espaço especializado em artes visuais, literatura e ciências humanas.  Sua produção mixa manualidade e tecnologia, conceito e materialidade, história e contemporaneidade. Através da captura do que é invisível na imagem, a artista propõe a ruptura do figurativo e do abstrato, descontextualizando significações e atualizando-as num território próprio.

Clique para ocultar a área de informações

Letícia Wierzchowski

Letícia Wierzchowski

Antes de se dedicar às letras, Wierzchowski estudou em uma faculdade de arquitetura, curso que não chegou a completar. Foi proprietária de uma confecção de roupas e trabalhou no escritório de construção civil de seu pai. Enquanto trabalhava neste último emprego, começou a escrever ficção. Seu romance de estréia, publicado em 1998 e relançado em 2001, “O anjo e o resto de nós”, conta a saga da família Flores, ambientada no início do século XX no interior do Rio Grande do Sul. O grande sucesso literário de Letícia viria com o romance “A casa das sete mulheres”, adaptado pela Rede Globo numa minissérie que foi ao ar em 2003 e reexibida em 2006.

Instada por seus editores a escrever uma continuação da saga das sete mulheres gaúchas durante a Revolução Farroupilha, recusou-se de início, pois tinha outros projetos literários. No entanto, acabou cedendo às pressões e lançou “Um farol no pampa”, em que retoma a vida dos personagens d’A casa. Lançou, em 2006, sua décima-primeira obra, “Uma ponte para Terebin”, em que narra a história de seu avô polonês. Ao mesmo tempo, trabalha, em parceria com o escritor Tabajara Ruas, no roteiro cinematográfico de “O Continente”, baseado na obra de Érico Veríssimo.

 

Clique para ocultar a área de informações

Jeison Karnal

Jeison Karnal

Jornalista, pós-graduando em Literatura brasileira pela Ufrgs, repórter do Diário de Canoas, colunista da Lê Aqui sobre Variedades e co-autor dos livros-reportagem “O Negociador de Reféns” e “Os Negociadores de Reféns”. Participou também de coletâneas, foi repórter e produtor na Rádio Gaúcha, editor de texto na TV Record e apresentador dos programas Sala de Imprensa, Faça a Diferença e Espaço Público da TV Assembleia do Rio Grande do Sul.  

 

Clique para ocultar a área de informações

Jean Claude R. Alphen

Jean Claude R. Alphen

É escritor e ilustrador. Depois de passar a infância na França, país natal de seu pai , voltou para o Brasil, país natal da sua mãe; em 1976. Formou-se em Marketing e Publicidade na ESPM. Na década de 1980, trabalhou como chargista e caricaturista nos jornais Marco Zero e Jornal da Tarde, do grupo Estado. Na década de 1990, começou a trabalhar com literatura infantil, inicialmente como ilustrador. Em 2017, foi finalista do prêmio Jabuti nas categorias de melhor livro infantil e de melhor ilustração e ganhou o Primeiro lugar do Prêmio na categoria de melhor ilustração com "Adélia" da Editora Pulo do Gato.


Site: https://www.jeanclaudealphen.com/ 

Clique para ocultar a área de informações

J.A. Pinheiro Machado

J.A. Pinheiro Machado

José Antônio Pinheiro Machado (Porto Alegre, 23 de novembro de 1949) é um jornalista, advogado, escritor, culinarista e apresentador de televisão brasileiro.

Foi apresentador do programa Anonymus Gourmet, que era exibido diariamente pela TV COM e pelo Canal Rural e aos sábados de manhã na RBS TV, afiliada à Rede Globo. Além de apresentador do programa de culinária na RBS TV, assinava uma coluna semanal no caderno de Gastronomia do jornal Zero Hora desde 1999.


Pinheiro Machado mudou de emissora em 2015. Foi contratado pelo Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) do Rio Grande do Sul. Apresenta o mesmo programa Anonymus Gourmet, também aos sábados.

Foi apresentador do programa RBS Entrevista, na RBS TV, de 1995 a 2000; redator-chefe da revista Playboy, em São Paulo, em 1986; editor da revista Oitenta da L&PM, de 1979 a 1982; colunista do jornal Gazeta Mercantil, de 1983 a 1985; e colunista da Playboy de 1985 a 1990.

Clique para ocultar a área de informações

Ikechukwu Nkeechi

Ikechukwu Nkeechi

Sunny nasceu em Nkalagu, cresceu e estudou na cidade de Oba, ambas ao sul da Nigéria. Há 15 anos, escolheu o Brasil para viver. Após chegar ao país, cursou Letras e Educação Física. É autor de quatro livros infantojuvenis de contos da tradição oral de seu povo: “Ulomma, a Casa da Beleza e Outros Contos”; “As aventuras de Torty, a Tartaruga”; “Contos da Lua e da Beleza Perdida”; “ O Natal de Nkem”, todos por Paulinas Editora.

 

O significado do nome Ikechukwu “o poder de Deus”, Sunday “dia ensolarado ou domingo” e do sobrenome Nkeechi “amanhã será melhor”.

 

Clique para ocultar a área de informações

Fê

É arquiteto formado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Santos e também formado em Comunicação Visual e Pós-graduado em Tecnologia Gráfica pela FAU-USP.
Ilustra para a coluna diária do José Simão do caderno Ilustrada do Jornal Folha de S. Paulo.
Retornou recentemente ao Brasil em 2014, após morar em Londres por 9 anos.

Por Paulinas Editora publicou quatro livros infantis da Coleção Criantiva, No Mundo do Faz de Conta, Brinconto, Ki-Som-Será? e O Reizinho Comilão, além de livros de outros autores ilustrados por ele.

Recebeu o prêmio Açorianos de Ilustração de Literatura Infantil-2006 (Secretaria de cultura de Porto Alegre) pelo livro Ensinei meu gato a falar françês, da autoria de Sérgio Vieira Brandão.
Tem outros livros de própria autoria e também em coautorias editados por outras editoras.
Mais que uma vocação, escrever e ilustrar para os pequeninos é uma verdadeira e eterna paixão.
Criar é estar pleno, é deixar sua criança interna sempre em diálogo com o Universo, sem amarras, livre, e a Literatura Infantil nos permite devolver ao mundo, principalmente às crianças, lindas e perfumadas flores que irão embelezar e fortalecer de vida os jardins de suas vidas.

Toda criança é livre para brincar, para sonhar, para viver, para ser uma criança feliz, criativa e Ser Criantiva.
É um apaixonado por livros só de imagens, pois através das imagens, seu olhar, sua imaginação são envolvidos pela força das cores, das formas e de conteúdos muitas vezes surpreendentes. Através das imagens podemos recriar e recontar novas histórias. O livro infantil Brinconto, é um livro só de imagens, no qual a criança pode recontar uma nova história através das personagens que a cada página vão surgindo.
A literatura infantil tem a fantasia como mola e motor de sua existência, pois é ela que a põe em movimento.
Sem fantasia não há literatura infantil, não há criação.

 

 

Clique para ocultar a área de informações

Fábio Monteiro

Fábio Monteiro

Fábio Monteiro nasceu em Recife/PE e perdeu as contas dos anos que mora em São Paulo. Formado em História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, especializou-se na PUC/SP em História, Sociedade e Cultura. Conta Histórias verdadeiras para seus alunos, mas inventa algumas outras que se tornam verdades por meio da literatura para infância e juventude.

Clique para ocultar a área de informações

Décio Dalke

Décio Dalke

Formado em Comunicação Social pela PUCRS e pós-graduado em Administração e Planejamento para Docentes pela ULBRA, atua como jornalista, publicitário, escritor, poeta e romancista. É sócio e atual presidente da Associação Canoense de Escritores. Foi patrono da Feira do Livro do bairro Niterói, em 2011, e também também Feira do livro de Canoas em 2013.

Dalke tem dezenas de artigos religiosos publicados na imprensa porto-alegrense e canoense. Foi vencedor do concurso Literário Galdino Moreira, promovido pela Academia Evangélica de Letra do Brasil, e Menção honrosa no Concurso Cyro Martins, em ambos, com o romance “O homem que não se curvou”.

 

Clique para ocultar a área de informações

Armindo Trevisan

Armindo Trevisan


Nasceu em Santa Maria, em 1933. É teólogo, poeta, crítico de arte e ensaísta brasileiro, tendo obras traduzidas em várias línguas, especialmente alemão, italiano, espanhol e inglês. Estudou em seminário, tendo a Teologia marcado sua formação, formado nesta disciplina em 1958. Doutor em Filosofia, pela Universidade suíça de Fribourg, com a tese "Ensaio sobre o problema da criação em Bergson. Em 1963,  fez curso de aperfeiçoamento em Paris. De 1969 a 1970, e de setembro de 1974 a fevereiro de 1975, foi bolsista da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. Atuou como Professor Adjunto de História da Arte e Estética na UFRGS, de 1973 a 1986. Lecionou, também, no curso de pós-graduação em Artes Visuais na mesma universidade até 2000.

Clique para ocultar a área de informações

ATIVIDADES DA FEIRA

    Gastronomia

    Gastronomia

    Mais que receitas, a gastronomia passou a ser uma inspiração e um estilo de vida das pessoas

    Eventos culturais

    Eventos culturais

    Além da literatura, peças de teatro, cinema, apresentações musicais estão na programação

    Autógrafos

    Autógrafos

    Quase 30 escritores irão autografar seus livros no espaços da Feira do Livro de Canoas

    Encontros

    Encontros

    Vão ocorrer mais de 40 encontros de escritores com o público nos espaços da Feira do Livro

    Histórias

    Histórias

    Mais de 30 contações de história serão promovidas durante a Feira do Livro

crédito foto Vladimir Ferrigato

Escritor, vencedor do prêmio Jabuti em 2008, possui mais de 40 livros publicados por editoras como Melhoramentos, Ática, Saraiva, Editora do Brasil, Panda Books, Mundo Mirim, Prumo, Paulus, Besouro Box, Escala Educacional, entre outras. Em 2015, foi o patrono da 24ª Feira Literária da cidade de Carlos Barbosa, no Rio Grande do Sul.

 

Seu livro, “O Sumiço da Lua” integrou o catálogo da Feira do Livro Infantil de Bologna, em 2015. E sua obra “Sensor, o Game”, fez parte do catálogo oficial da CBL, Câmara Brasileira do Livro, na feira do livro em Frankfurt. Foi finalista, em 2013, do prêmio Açorianos de literatura com o livro “A Menina Que Perdeu o Trem”.

 

Também trabalha como ator e já participou de grandes espetáculos teatrais como Os Lusíadas, O Mágico de Oz e a Luta Secreta de Maria da Encarnação, último espetáculo escrito por Gianfrancesco Guarnieri. Escreveu para revistas, televisão e rádio. Nasceu na cidade paulista de São Bernardo do Campo, em 06 de março de 1968.


IMPRENSA

    Última notícia
  • 09-07-2018 16:07
    Cerimônia marca encerramento da 34ª Feira do Livro de Canoas

    Já caía a tarde do sábado (7) quando os últimos livros da 34ª Feira do Livro de Canoas foram comercializados. O evento foi encerrado oficialmente com um ato no auditório Thedy Corrêa. O prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, prestigiou o último dia da feira. Ele esteve acompanhado da patrona Luisa Geisler, do secretário da Cultura e do Turismo de Canoas, Mauri Grando, e do vice-presidente da Câmara Municipal de...

Baixe os arquivos
  
Fotos e Vídeos
  
Artes
  
Releases
Contato

Organização da Feira do Livro
Para informações
E-mail dec.canoas@gmail.com
Fone 32361467, ramal 1467

Para agendamento de escolas
Fone 32361467, ramal 1467

Atendimento à imprensa
E-mail: imprensa@canoas.rs.gov.br

LOCALIZAÇÃO DA FEIRA