Prefeitura de Canoas

A história da cidade começa a a partir da construção da linha férrea entre Porto Alegre e Novo Hamburgo, no ano de 1873, que dividiu a fazenda Areião do Meio, propriedade familiar da ilustre Baronesa do Gravataí. Operários fixam residência ao longo dos trilhos e, com suas famílias, originam um pequeno vilarejo, vinculado ao 7º Distrito de Sapucaia do Sul.

Com a linha ferrea é construída a Estação da Estrada de Ferro, em 1905, obra que intensifica a ocupação e atrai novos moradores. Multiplicam-se as residências, comércios e ruas do povoado. Posteriormente, a estação viria a ser demolida para viabilizar as operações do Trensurb. Em 1948 Esteio é desmembrada do 7º distrito de São Leopoldo, passando à categoria de Vila.

Em plesbiscito, realizado em 1953, o povo de Esteio opta por concretizar o sonho de uma cidade independente. No ano seguinte, Frainer é eleito o primeiro prefeito do recém-nascido município de Esteio.
Graças à posição privilegiada na Região Metropolitana e ao empenho de um povo trabalhador e solidário, Esteio possui uma vocação natural para o crescimento. Casa de fortes indústrias tradicionais e um pólo comercial em constante crescimento, a cidade reúne alguns dos melhores indicadores de renda, saúde e educação da Região Metropolitana de Porto Alegre.
Na cidade, qualidade de vida e desenvolvimento caminham juntos, construindo uma cidade boa para viver, investir, trabalhar e crescer.
Na economia, no setor industrial se destaca e abrange as áreas de metalurgia, vestuário, tecidos, produtos alimentares e mecânica. Entre os principais manufaturados estão óleo vegetal, plástico, papel, cimento, ração e proteína vegetal.

         
Clique para ocultar a área de informações

Ao chegar a Praça da Bandeira para apreciar a Feira do Livro, damos de cara com uma grande quantidade de crianças e adolescentes circulando pelos espaços e corredores. Nessa quarta-feira (13) eles tiveram a oportunidade de discutir um pouco mais a literatura de Patrícia Secco, que transforma os leitores em aliados do meio ambiente.

Com mais de 200 obras escritas, Patrícia trilha sua literatura com a “educação pela paz e empatia” e é o exemplo de que a leitura na infância não apenas torna crianças mais conscientes de seu papel no mundo, mas transforma os pais. Foi lendo o clássico “João e o Pé de Feijão” para seu filho que Patrícia entendeu a sua responsabilidade com as próximas gerações.

“Eu trabalhava em um banco, mas sempre li muito mais que o normal e sempre achei que teria de ter um tempo de leitura exclusivo para os meus filhos e lia o que tinha, mesmo sem acreditar no que aquela história falava. Daí eu comecei a escrever livros sobre coisas que eu acho importante”, contou a escritora.

Com um modo de escrever especial, suas obras não trazem uma moral da história, mas procuram estimular a empatia, a escolha em poder dizer não e a inclusão. “Estou feliz e a cada dia eu me encontro cada vez mais com essas crianças, recebo deles mais informações, que me ajudam a escrever e que demonstram que estão gostando do que eu faço”, disse a escritora.

Pessoas de todas as idades se vestiram de poesia nessa quarta-feira (12), declarando seu amor aos livros e à cidade de Canoas. Os vencedores do concurso Poesia no Varal foram premiados durante evento na 35ª Feira do Livro de Canoas, que trouxe como temas “Livros dão Superpoderes” ou “80 anos de Canoas”. A Secretaria Municipal da Cultura e do Turismo (SMCT) recebeu a inscrição de mais de 800 poesias na edição 2019.

A ideia da professora de literatura Mirian de Oliveira nasceu da vontade de reunir todas as escolas municipais em um concurso que pudesse incentivar a leitura. A certeza era que seria um concurso de poesia, mas ela não sabia ao certo como fazer. Em um ônibus a caminho de Porto Alegre, há nove anos, alguém vestido de poesia inspirou o concurso que hoje a professora considera um sucesso. “Foi dali que veio a ideia de um concurso de poesia no varal, pendurar as camisetas com poesias de alunos de escola do município, e assim foi tendo uma adesão incrível”, contou.

A aluna Mariana Trindade, da Escola Municipal Monteiro Lobato, foi uma das premiadas. Ela foi incentivada pela professora Inês, que já teve o prazer de ver alguns alunos premiados, como a Eduarda Ribeira, que já venceu o concurso duas vezes. Feliz com o evento, Mariana, Eduarda e os outros 13 poetas, além das camisas, receberam livros doados pelos expositores. “Minha professora incentiva muito a gente a ler e eu comecei a escrever bem. Escolhi falar sobre os livros e fiz a poesia imaginando como é ler um livro com vontade”, comentou.

As categorias de disputa eram para alunos do 6º ao 9º ano dos Ensinos Fundamental, alunos do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA), mediadores de leitura, usuários da Biblioteca Pública João Palma da Silva, usuários dos Equipamentos Culturais (Hangar, Praças CEU e da Juventude) e público em geral.

Confira os 15 vencedores:

Gabriel Schuck
Fabrine da Silva
Francine Padilha
Icaro de Alcantara
Eduarda Ribeira
Mariana Trindade
Ellen Butte
Erick Selbach
Júlia Machado
Caroline Ramos
Arthur Shiniti
Laís Rohdt
Carlos Medeiros
Ana Caroline Ramos
Tanise Reginato

Os alunos das escolas de educação infantil e fundamental de Canoas estão pegando carona em uma ação de divulgação da 35ª Feira do Livro. Um ônibus leva duas contadoras de histórias e uma professora da rede municipal através da “Linha de Leitura”, que transporta as crianças, no ambiente da escola, para o universo dos livros.

A Linha fortalece a memória afetiva em relação à leitura. Brincando com os personagens em um momento lúdico, as crianças são convidadas a participar da Feira, que acontece de 8 a 16 de junho, na Praça da Bandeira, no Centro de Canoas. Ao todo, 22 escolas vão receber visitas do ônibus.

Itinerário das próximas Linhas da Leitura:

Dia 3/6
8h30 – EMEF Rio de Janeiro
14h – EMEF General Neto

Dia 4/6
8h30 – EMEF Professor Doutor Rui Cirne Lima
14h30 – EMEI Pé-de-Moleque

Dia 5/6
8h30 – EMEF Gonçalves Dias
14h – EMEF Irmão Pedro

Dia 6/6
8h30 – EMEF Coronel Francisco Pinto Bandeira
14h – EMEF João Palma da Silva

A Praça da Bandeira já respira os ares das letras, histórias e de personagens marcantes. Isso porque, desde o sábado (8), o local recebe a 35ª edição da Feira do Livro de Canoas. O fim de semana que marcou o início das atividades já registrou bom movimento entre as bancas. O domingo (9) foi marcado pela palestra do escritor homenageado nesta edição, Leo Chaves. A Feira do Livro de Canoas vai até o próximo domingo (16) e conta com atividades diárias, como sessões de autógrafo, lançamento de livros, encontro com escritores, oficinas e contação de histórias.

Conhecido pela brilhante carreira na música, ao lado do irmão Victor, o cantor Leo Chaves é também um escritor e apaixonado pelos livros. Em 2017, ele lançou “No colo dos Anjos”, um livro que mistura ficção e autobiografia. Como escritor homenageado na 35ª Feira do Livro de Canoas, ele subiu ao palco na tarde do domingo, desta vez, não só para cantar, mas para também para transmitir conhecimento. Durante mais de duas horas, ele conversou com uma plateia, que reuniu pessoas de várias cidades, sobre conceitos de inteligência emocional, superação e crescimento pessoal, os quais ele aprendeu ao longo de sua trajetória. “A literatura tem me levado em lugares que ainda não tinha ido com música. Além disso, é também uma forma de me expressar de diferentes formas, fazendo com que as pessoas me conheçam não só por aquilo que eu canto, mas também pelo que escrevo, penso e conheço”, afirmou o autor. Leo Chaves ainda aproveitou para elogiar Canoas pelo espaço dado à cultura e à literatura na cidade, reforçando que isso devia ser exemplo para todo o país.

Abertura reuniu autoridades

A cerimônia de abertura da 35ª edição da Feira do Livro de Canoas contou com a participação de diversas autoridades. Entre elas, os prefeitos de Canoas, Luiz Carlos Busato, e de Esteio, Leonardo Pascoal. A cidade vizinha é a homenageada neste ano pela Feira. Para Busato, a Feira do Livro é um dos mais importantes eventos culturais que a cidade pode promover para seus cidadãos. “Os livros dão pernas para gente viajar pelo mundo inteiro, outras galáxias ou até mesmo para o lado da nossa casa. A literatura, junto da educação e do esporte, tem a capacidade de dar oportunidades ao jovens para que não caiam no mundo do crime. Aqui em Canoas, temos trabalhado muito para desenvolver esse tripé de cultura, esporte e educação, para possibilitar à juventude mais oportunidades de futuro”, destacou. Já o prefeito de Esteio observou a quão “significativo é, para as próximas gerações do país, dar esse olhar mais atento aos pequenos”.

E os pequenos serão protagonistas desta edição. Nesta semana, mais de 15 mil alunos de escolas de Canoas devem passar pelas bancas da Feira do Livro. O contato com a literatura é fundamental na formação dos jovens cidadãos. “A cultura é a essência da pessoa, é o caminho para construir uma sociedade mais justa e melhor. Aqui em Canoas, desde 2017, estamos fazendo um trabalho que leva atrações culturais para todos os cantos da cidade, todas idades e classes sociais. É um trabalho descentralizado que busca abraçar e integrar toda a cidade através das mais variadas expressões culturais”, informou o secretário da Cultura e do Turismo de Canoas, Mauri Grando.

A Feira do Livro de Canoas terá como tema neste ano “Livros dão Super Poderes”. O evento ocorre no período de 8 a 16 de junho, na Praça da Bandeira. A 35ª edição oferece aos leitores espaços para bate-papo e seções de autógrafos com quase 30 escritores, mais de 20 bancas de livros e dezenas de atrações culturais. A Feira é um oferecimento da Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (SMCT).

A escritora Maria Luci Cardoso Leite é a patrona desta edição. Professora, voluntária e presidente da Casa do Poeta de Canoas, ela agrega sua experiência para promover mais esse evento de cultura na cidade. A escolha de seu nome representa a atuação multifacetada da cultura no município.

O cantor e escritor Leo Chaves é o homenageado da edição 2019. Após dar uma pausa na carreira, em 2017 lançou o livro “No Colo dos Anjos”. A obra será apresentada ao público em uma palestra com sessão de autógrafos e pocket show.

Foram confirmadas a participação do ilustrador Mauricio Negro e dos escritores de literatura infantil Leia Cassol, Kalunga e Patricia Secco, do psicólogo e ex atleta de basquete Guilherme Luz, entre muitas outras atrações. A Feira do Livro de Canoas conta com o patrocínio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, do Banrisul e da Corsan, e com apoio do Sesi e da Fiergs.

Acessibilidade

A 35ª Feira do Livro de Canoas tem o compromisso de proporcionar uma integração entre todos os públicos. O espaço criativo ficará aberto para a realização de oficinas de Braille com a Associação dos Deficientes Visuais de Canoas (ADEVIC). A Associação Canoense dos Deficientes Físicos (ACADEF) promove a oficina de vidros decorados para crianças e adolescentes. A Associação Pestalozzi também fará apresentações artísticas na Feira, como na sexta-feira (14), marcado como o dia da acessibilidade no evento.

Bebeteca

O serviço da Bebeteca, oferecido pela Biblioteca Pública Municipal João Palma da Silva, vai à praça para integrar pais e filhos com o mundo da literatura. Além das contações de histórias, haverá yoga para crianças, oficina de música e musicalização.

Pocket Shows

Além do pocket show com Leo Chaves, a Feira também tem apresentações de Vini Lacerda, Henrique Zamora, Correa Six, Denílson Bernardo, Marcelo Valêncio e o Guri de Uruguaiana.